terça-feira, 8 de março de 2011

A DESFAÇATEZ DE UM CÍNICO

Quando Sócrates discursava num jantar do PS em Viseu, membros do movimento “Geração à rasca” interromperam-no com denúncias sobre a situação dramática a que a política do Governo tem conduzido os jovens portugueses.

Acto contínuo diversos elementos da segurança expulsaram da sala à pancada – como foi perfeitamente visível em imagens da SIC e em fotografias do Diário de Notícias – aqueles elementos, numa significativa demonstração daquilo que o Primeiro-Ministro designou de “tolerância” do PS.

Mas o que é absolutamente inaceitável é que José Sócrates, contando para isso também com a conivência dos jornalistas presentes se haja permitido insultar a inteligência de todos nós e provocar ainda mais os jovens agredidos, ao cinicamente comentar para as câmaras e microfones sem uma única pergunta incómoda que tinha achado muita graça e até tinha muita pena que os jovens não tivessem ficado para jantar, pois o PS teria tido muito prazer na sua presença!?

Quem manda desta forma arrogante o cuspo para o ar, está mesmo à espera de que um dia ele lhe caia estrondosamente em cima…

Fotografia de Ricardo Estudante - Global Imagens (in Diário de Notícias)

7 comentários:

  1. E, se um dia, estando o PR jantando publicamente com outros comensais, surgir um destes jovens tipo geração rasca, de megafone em punho, clamando 'você é um botas, vive à conta do país e nada se incomoda com esta geração à rasca...' - Qual a atitude que é esperada dos guarda-costas do PR? Seria igual, parecida ou completamente diferente? E se fosse num jantar de um deputado? E se fosse num jantar de um banqueiro? E se fosse num jantar de um grande empresário? Nos últimos casos, ou o jovem não sobreviveria ou teria sido agraciado com um convite semelhante àquele que Sócrates lhe fez!... Houve um dirigente das polícias que ficou radiante com o facto de a sua casa ter sido assaltada e de, incluso, lhe terem levado a arma pessoal? Indignou-se com o facto, como qualquer cidadão normal? Não! Disse apenas que qualquer cidadão está sujeito a isso... Pois, qualquer cidadão está sujeito a ser posto ao ridículo! Qual, então o problema? Deve a situação ser vista pelo lado do cidadão que é posto a ridículo ou pelo lado do cidadão que põe a ridículo quem quer que lhe apeteça? Este é que é o verdadeiro cerne da questão!

    ResponderEliminar
  2. 1º-Estes jovens de uma forma muito singular, estão a mostrar-nos, não só a forma mas também o caminho que os portugueses/as devem seguir, até este minoritário governo e o seu chefe Sócrates, irem pela porta fora.

    2º-Para quem ainda tem algumas dúvidas, mais uma vez verificamos, o carácter fascista, anti-democrático do Sócrates, ao referir-se de uma forma cínica, provocatória, reprovável, e condenável, aos correctos e justos protesto dos jovens.

    ResponderEliminar
  3. Caro Pebatcruz,

    Como deve ter reparado, o que eu assinalei foi sobretudo o cinismo de alguém que põe outro à pancada na rua e depois, em vez de o assumir, ainda diz que tinha muito prazer em que ele tivesse ficado. A isso se chama cinismo ou, pior, a cobardia moral daqueles que só falam alto com as costas quentes e que nem sequer têm a coragem de assumir a responsabilidade dos actos que praticaram ou que mandaram ou permitiram que fossem praticados.

    Por outro lado, não vejo que se possa correctamente qualificar de "pôr a ridículo" uma atitude de protesto - mais do que justa e justificada - visando "Sua Excelência o Primeiro-Ministro". Não é pôr a ridículo, é denunciar a permanente mistificação da realidade e a contínua traição aquilo que prometeu e com base no qual obteve os votos, em que tem consistido a governação de Sócrates.

    Por fim, é claro que com atitudes destas o que ele está mesmo a fazer, ao provocar e achincalhar assim as pessoas, é mesmo a semear ventos. Depois não se queixe das tempestades que colha...

    ResponderEliminar
  4. http://braganzas.blogspot.com/2011/03/o-mais-curto-mandato-de-cavaco-silva.html

    ResponderEliminar
  5. Não concordo nada com o que li.
    Não faz nenhum sentido dizer que Sócrates foi hipócrita ou que no seu comportamento existiu desfaçatez.Se o meu caro convidar alguém a jantar em sua casa e esse alguém desatar aos berros e aos insultos certamente que o põe a andar o mais depressa possível. Foi o caso. Gente mal educada nem merece outra coisa.

    ResponderEliminar
  6. A Maria Henriques:

    Talvez não tenha lido o último comentário do autor do post: "o cinismo de alguém que põe outro à pancada na rua e depois, em vez de o assumir, ainda diz que tinha muito prazer em que ele tivesse ficado. A isso se chama cinismo".

    Não está em questão o ter posto as pessoas de lá para fora, mas sim a forma como o fez e muito principalmente a atitude seguinte!

    ResponderEliminar
  7. Maria Henriques,

    Não dissimule a hipocrisia dos outros com a sua própria. Comparações são muito bem vindas, quando adequadas. Ora não é o caso.

    Desde quando é que o srº pseudo engenheiro Sócrates estava em sua casa num jantar privado? Desde quando se pode comparar esse evento a um jantar privado? Desde quando é falta de educação protestar junto dos principais responsáveis pela miséria que abunda neste país? Falta de educação é mentir, governar com base nessa mentira e depois ainda achincalhar quem se revolta muito justificadamente (e isto está só a começar). Se queriam por os protestantes fora do edifício, tudo bem, mas com civismo, mas enfim, já estamos fartos destas demonstrações medievais da falta de cultura democrática dessa gente (amedrontada porque vai perder o poleiro).

    De resto GP tem toda a razão no essencial do ponto que aqui coloca: o cinismo com o qual o srº1ºministro tenta esconder o sol com a peneira, chamando a brincadeira de carnaval um protesto que é tudo menos a brincar. Interprete como queira, seja cínico até provocar náuseas na população e assim em breve verá o que vai comer no seu próximo jantar.

    Bom apetite

    ResponderEliminar